Gravidez

A identificação é fácil, Liliana Pereira não vem só. Traz o Duarte. A um mês do parto, aconchega com as mãos o filho na barriga. Quem com ela se cruza no mega centro comercial da Margem Sul não fica insensível à imagem de felicidade. Ao sorriso e aos olhos de mar azul que lhe iluminam o rosto e lhe dão serenidade. Mas desconhece que Liliana teve de optar entre o emprego e a maternidade. Por estar grávida, não lhe renovaram o contrato na empresa onde trabalhava há dois anos e meio. Perdeu o emprego, mas denuncia a pressão: sabe que pode haver represálias, mas não se conforma ao silêncio. Confia na sentença do tribunal que avaliará a actuação de uma empresa “pouco amiga” das grávidas. Com 28 anos, venceu o medo no país onde ele se insinua como conselho de recato e vigora como prática.

(fonte: http://www.publico.pt/Sociedade/cientistas-desenvolveram-teste-sanguineo-para-detectar-sindrome-de-down_1483684)

Uma equipa de cientistas desenvolveu um teste sanguíneo em mulheres grávidas que detecta se o feto tem síndrome de Down. Os resultados preliminares foram publicados ontem na revista Nature Medicine, a técnica pode evitar os testes mais invasivos utilizados hoje.

A dor de um aborto espontâneo pode permanecer durante anos
Por: Ana Esteves

A dor provocada por um aborto espontâneo ou perda gestacional é funda e pode permanecer mesmo depois de a mulher ter conseguido ter outro bebé, de forma saudável. A depressão e a ansiedade são sintomas que se mantêm, muitas vezes, depois do nascimento de outro filho. Segundo as conclusões de um estudo realizado por uma equipa de investigadores da Universidade de Bristol, Reino Unido, e da Universidade do Rochester Medical Center, EUA, as mães que passaram por um aborto ou perda gestacional revelam níveis mais intensos de depressão e de ansiedade do que aquelas que não passaram por essa experiência. 

fonte: http://www.lifenews.com/2010/09/21/nat-6718/

by Steven Ertelt

LifeNews.com Editor
September 21, 2010

 

Brest Cancer
 Washington, DC (LifeNews.com) – A microbiologist says there are so many published studies confirming the link between induced abortion and breast cancer that he plans to publish one every day on his blog until he’s mentioned them all. It will take Dr. Gerard Nadal so many weeks to cover them all, the blogging will continue until early next year.

 

by Steven Ertelt
LifeNews.com Editor
October 13, 2010

fonte: http://www.lifenews.com/2010/10/13/int-1665/

 

Researchers in Iran have published the results of a new study showing women who have an abortion face a 193% increased risk of breast cancer. On the other hand, women who carry a pregnancy to term find a lowered breast cancer risk compared with women who have never been pregnant.

The study folllows on the heels of new reports indicating Komen for the Cure gave $7.5 million to the Planned Parenthood abortion business in 2009.